23 de setembro de 2012

Jurei nunca mais amar ninguém desta maneira.

"Dominei a solidão, é necessária uma paciência terrível. Andei pelas cidades dos quatro cantos do mundo à procura do ar que tu respiravas. Diz-se que os pensamentos de duas pessoas que se amam acabam sempre por se encontrar, por isso perguntava-me muitas vezes a mim mesmo ao adormecer à noite se tu também pensarias em mim quando eu pensava em ti. Fui a Nova Iorque, percorri as ruas, sonhando avistar-te e temendo ao mesmo tempo que isso acontecesse. Julguei reconhecer-te cem vezes, e o meu coração parecia deixar de bater quando a silhueta de uma mulher se assemelhava à tua. Jurei nunca mais amar ninguém desta maneira. É uma loucura, um abandono de si próprio impossível."

Marc Levy,
As coisas que nunca dissemos

5 comentários:

  1. Muito bem escrito. Muito verdadeiro. Muito sentido. Sinto-me em sintonia com ele.

    ResponderExcluir
  2. LINDO! Este homem tem o dom da palavra! Tenho mesmo de ler mais coisas de Marc Levy... Os livros dele deixam saudade.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É verdade, cada vez gosto mais de ler Marc Levy :)

      Excluir
  3. Adorei essa citação, tenho que ver se leio esse livro ;)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Este livro não faz parte da minha colecção dos livros do Marc Levy, requisitei na biblioteca, mas é um livro muito bom!

      Excluir