26 de abril de 2014

O fim de HIMYM numa palavra: Possimpible


Muitos sentimentos vieram à tona depois de ver o final de HIMYM, mas no fundo o maior foi a valente traição que me fizeram. Nisto dos filmes e séries uma pessoa quer finais felizes, porque para dramas já bem basta a vida (e os livros do Nicholas Sparks).

Começamos pelo único final decente... O fim do Marshall e da Lily, que continuam juntos, felizes e cheios de filhos. Ao menos temos um casal que nos faz acreditar no amor.


O fim menos mau... o do Barney. Verdade seja dita, se os produtores gastassem mais 15 minutos a pensar no fim do Barney tinham arranjado melhor. Depois de queimar o Playbook pela Robin, depois de casar com ela, volta tudo atrás? Até que ironia do destino tem uma filha e torna-se o santo defensor das jovens provocadoras em bares? Oh por favor...

E por último, o fim que ainda me faz muita comichão. Começa logo pelo casamento da Robin com o Barney. Qual é a noiva que a minutos da cerimónia diz para o padrinho: devia era ficar contigo. Então o Ted anda anos atrás dela e ela sempre a dar para trás porque não quer casar e não quer ter filhos e o Ted a viver uma vida cheia de esperanças vãs. No fundo, o Barney gostava mais da Robin do que ela gostava dele... Foi ela que quis fugir do casamento, foi ela que propôs o divorcio, foi ela que se afastou do grupo por ter dor de cotovelo do Ted...


Depois temos o Ted e a "Mother", aquele primeiro encontro vai ficar para a história como o melhor primeiro encontro de todas as histórias de amor. Segue-se os filhos, o casamento e uma pessoa olha para aquele casal e pensa: bolas, isto das almas gémeas existe mesmo (sou uma romântica é o que é). Depois ali em segundos (qual livro do Nicholas Sparks) ficamos a saber que ela morre...

E pronto, há todo um cenário favorável para o Ted voltar para a sua antiga (?) paixão. O que levanta uma dúvida, será que ele alguma vez deixou de amar a Robin? Não dúvido que ele amasse a "Mother", mas como é possível depois dele ter deixado a Robin seguir a sua vida quando foi o casamento dela, depois dele próprio ter seguido a vida dele, como é possível voltar tudo atrás?

A vida dá voltas e mais voltas, ensina-nos sempre em cada desgosto e em cada vitória algo de novo. Depois de tudo o que o Ted passou, heis o seu final: de trompete azul na mão à porta da casa da Robin, tal e qual como tudo começou. Oh Ted, a tua vida deu uma verdadeira volta de 360º e voltar ao sítio de onde se partiu nunca pode ser um final feliz.

4 comentários:

  1. Concordo inteiramente!!! Podiam ter feito a coisa um bocadinho mais conto de fadas, só naquela de deixar as romanticas com uma réstia de esperança!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O que ainda nos vale é o Marshall e a Lily :)

      Excluir
  2. Sem o Marshall e a Lily o final tinha sido desastroso! Assim ficou apenas "horrível".
    Beijinhos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É isso! Como é que eles conseguiram em um episódio dar cabo de 9 temporadas é sem dúvida "possimpible".

      Excluir